Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

último delírio

agora

foto de Ved Denis Agora já podes vir. Entrar e encontrar o que sempre nos uniu. Não há razão para que te escondas de quem te viu e desejou o pior mal, como demónio que não solta humana alma, por desprezo e ódio. Agora, podes ficar. Estarás mais forte, e ninguém poderá julgar-te e perigar tua prole, nenhum mal fazer. Agora, aquilo terminou. E os grilhões, de tão enferrujados, quebraram. Agora, o que foi de nós só será sol dependente da tua vontade. E de quando vires o signo que resume a abertura do meu abraço.

Mensagens mais recentes

verborreia às tantas da madrugada

além a perdiz

memória em ruínas

onde estou

promessa de setembro

dos demónios enjoados

desceste como eu

la poesia è semplice

afirmação

soneto informe

vem acreditar no que escrevo

cantiga de

temperamento

a decisão

ora, por contradição:

empena

«quero sentir a dor dessa manhã»

partilha em cinco actos

dispersão

vice-versa da rejeição

talento desperdiçado

simbiose

eviterno

as piores três quadras para um fim