24 de março de 2010

ensaio poético para andreia


Sensualidade, por Paulo Vieira em 1000 imagens


a tua melena de ouro confunde-se com as searas do pão
que sacia a fome dos homens;
além violetas, margaridas, e um mar de trevos
de onde despontam papoilas;
faz sol, Andreia, escolhe uma sombra;
a laranjeira já não te pertence, nem os seu ramos
nem as suas flores;
enfeita os teus cabelos com ramos de damasco
a cor perfeita nos teus seios incendiados de desejo;
estende teu corpo acolá, entre o perfume das flores:
um teu amante virá e cobrirá a tua pele banhada de brancas pétalas,
que se desviarão ao toque carnal da sua mão.


Enviar um comentário