22 de maio de 2005

(mais um cliché seguido de) inquietação


Além-tédio, por Armindo Dias em 1000 imagens


Sinto o peso da tua partida. Desapareceste na curva da velha estrada, entre os passos da frondosa árvore que abre o largo que daqui não avisto.

Só essa alta árvore é testemunha do teu rosto depois da partida. Terá sido um rosto angustiado? Terá sido de alívio? Terás sorrido, ou esconderias a humidade dos olhos atrás do vento que te empurrou? Só essa árvore frondosa o saberá dizer. Quererá contar-me? Ou perderão as árvores também a sua memória?

Ficou aqui um espaço vazio, ocupado segundos mais tarde pela inquietação, comigo rendido e de braços apontando frouxamente o chão: se te perder, perco-me, e perder-te-às.
Enviar um comentário