16 de maio de 2005

coisa nenhuma


fotografia de Marco Ricca em 1000 imagens


- Que disseste?
- Nada.
- Julguei que tivesses dito alguma coisa...
- Nem sequer abri a boca.

A música conduzia o embalo da sala. Dois copos: um de gin, outro de sumo de um fruto vermelho. Pedras de gelo. Revistas várias com fotografia. Livros de poesia, abertos ao acaso.

- É certo que não disseste nada...?
- Sim. Porque insistes?
- Não insisto. Já não insisto.

Um gesto de impaciência:

- A conversa assim não te leva a lado algum. O que foi que ouviste?

Ficou a música. Beberam-se os líquidos. Folhearam-se as páginas. Havia uma janela para um jardim. Havia a luz para um céu declaradamente azul. Havia tudo. Como se tudo pudesse ser perfeito.

- Ia jurar que te ouvi dizer "amo-te".

Mas de tudo, coisa nenhuma.
Enviar um comentário